COMO OUVIR A RADIOWEB CARLÃO MARINGÁ

PARA OUVIR A RADIO CARLÃO MARINGÁ, BASTA CLICAR NO PLAY ABAIXO DA FOTO DO CARLÃO.

quinta-feira, março 30, 2017

COLUNA 30.03.2017

O FIM DA TCCC

O prefeito Ulisses Maia espera só um sinal das investigações policiais para acabar com o monopólio da TCCC. Ele ratificou isso numa entrevista à um Portal de notícias de Curitiba, na terça feira.

PROIBIDO

Ulisses também disse que na sua administração é proibido roubar, deixar roubar e será duro no combate à corrupção na prefeitura. Ou seja, ele prega transparência total.

OLHO ABERTO

Tem gente de olhos bem abertos com responsáveis pela secretaria de saúde de Maringá e o prefeito já deve saber disso.

CRISE NOS CORREIOS 

Os Correios estão enfrentando uma crise que pode levar a privatização da estatal. A direção criou um programa de demissão voluntária, fechou agências e ainda não conseguiu equilibrar as contas.

IMPUNIDADE

O ex-governador do DF Joaquim Roriz se livrou da acusação de desvio de dinheiro do BRB, o banco de Brasília. De acordo com a acusação, foram R$ 50 milhões, através de um esquema identificado na “Operação Aquarela”, deflagrada em 2011. Roriz escapou do banco dos réus por um detalhe bem simples, a justiça demorou para julgar a denúncia, “transcorridos mais de 4 anos entre a data do recebimento da denúncia e a presente data, bem como sendo os réus maiores de 70 anos, imperiosa se faz a extinção da punibilidade, em virtude da prescrição”, disse uma juíza.

DICLOFENACO

Um novo estudo publicado recentemente pela revista científica European Heart Journal apontou que medicamentos utilizados para combater dores e inflamações podem colocar em risco a saúde do coração. A pesquisa apontou que o uso dos anti-inflamatórios não-esteroides, conhecidos pela sigla AINEs,  diclofenaco e ibuprofeno está associado a um aumento no risco de infarto. 

TÉCNICOS TERCEIRIZADOS 

No serviço público a exceção da terceirização será para atividades que são exercidas por carreiras de Estado, como juízes, promotores, procuradores, auditores, fiscais e policiais. Outras funções, mesmo que ligadas a atividade-fim, poderão ser terceirizadas em órgãos ou empresas públicas. Ou seja, todos os cargos técnicos que incham a máquina pública, serão ocupados por empresas, acabando com os penduricalhos e os supersalários. Mas, estamos no Brasil e muita coisa ainda vai acontecer até que tudo esteja adequado                        

 FOGOS DE ARTIFÍCIO 

A vereadora Fabiane Rosa (PSDC), da área da proteção animal, apresentou um Projeto de Lei pra proibir o uso de fogos de artifício na capital paranaense. Pela  proposta a ideia é proibir apenas os fogos com estampido.

FOGUETEIRO

O vereador Odair Fogueteiro, do ramo de fogos de artifício em Maringá deve estar com pulga atrás da orelha.

18 comentários:

Anônimo disse...

Fecha essa merda de correios e a partir de agora só vale correio eletronico

Anônimo disse...

Às vezes sinto dores no peito e agora descobri. Cortei os anti inflamatórios da minha vida

Anônimo disse...

Prefeito tomou muito remédio já. Essa notícia não foi boa pra ele não..

Anônimo disse...

Espero que Ulisses cumpra a promessa de acabar com essE MONOPÓLIO da TCCC

Anônimo disse...

Vem aí o Foguete no rabo do Mantovani

Anônimo disse...

Gardenal koakoakoa

Anônimo disse...

MINHA CARQ PRQ BATER SE ELE QUEBRAR O MONOPÓLIO DA TCC

Anônimo disse...

Fim do monopólio ? Conta outra

Anônimo disse...

Que Temer morra. Lentamente, bem devagar... ao estilo que ele gosta. Morosamente.
Putaria onwie estão querendo fazer com a nossa aposentadoria

Anônimo disse...

Cansei desses safados. Doria neles

Anônimo disse...

ULISSES NUNCA SE COMOROMETEU A BAIXAR AS TARIFAS? MOSTRAVA NA TV UM ESTUDO ONDE HAVIA 30 CENTACOS A MAIS.
O que ele de até agora ????????

Anônimo disse...

Não seja por isso olha a decisão de hoje sobre transporte coletivo onde Maringa também está envolvida
Nesta quinta-feira, 30 de março, o Ministério Público do Paraná, por meio dos núcleos de Guarapuava (Centro-Sul paranaense) do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e do Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria), ofereceu aditamento à denúncia na ação penal que busca a responsabilização de agentes políticos, empresários do ramo de transporte coletivo, advogados e sócios de empresas de engenharia pelos crimes constatados durante o processo de licitação do transporte coletivo em Guarapuava em 2009. Com o aditamento, mais quatro pessoas foram denunciadas.

Além disso, dois novos crimes foram incluídos: usurpação de função pública e lavagem de dinheiro. Apurou-se que o projeto de lei apresentado pelo então prefeito, em dezembro de 2007, que deu origem à Lei Municipal n.º 1688/2008, a qual regula pontos importantes da licitação e da concessão do transporte coletivo de Guarapuava, foi elaborado pelo grupo criminoso ligado ao escritório de advocacia dos réus, com o apoio de agentes públicos, para beneficiar a empresa que viria a sagrar-se vencedora. Verificou-se ainda que o pagamento pelas fraudes foi travestido de contrato de honorários de serviços advocatícios, como forma de ocultar (“lavar”) a origem ilícita dos pagamentos ao escritório de advocacia, que cobrou R$ 115.000,00 para organizar o direcionamento da licitação.

A denúncia original foi oferecida em julho de 2016, contra 22 pessoas, logo após a deflagração da primeira fase da Operação Riquixá, quando foram cumpridos (em cidades do Paraná, Santa Catarina, São Paulo e no Distrito Federal) seis mandados de prisão, além de 29 conduções coercitivas (quando a pessoa é conduzida para ser ouvida na mesma data) e 53 ordens de busca e apreensão em empresas e residências, expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Criminal de Guarapuava.

Com o prosseguimento das apurações, que incluiu também a formalização de acordo de colaboração premiada com um dos réus, verificou-se a participação de mais quatro pessoas que agora são denunciadas: o ex-procurador-geral do Município de Guarapuava, o ex-assessor especial de gabinete, o advogado fundador e o administrador do escritório de advocacia em que o colaborador atuava.

Em Guarapuava, o valor estimado do contrato para os primeiros 15 anos de concessão alcança R$ 180 milhões.

Anônimo disse...

Ulisses maia transparência total??????????
Faz-me cagar e mijar nas calças de rir

Anônimo disse...

Mantovani em "o homem que copiava "

Anônimo disse...

Fim da tcc é muito boa

Anônimo disse...

É o Lixo?

Anônimo disse...

Prefeito já pisou na barquinha ao não dar pelo menos 1% de aumento de salário. Agora a sanepar vai subir as tarifas e, 25% e nos 0% de aumento

Anônimo disse...

#eu apoio a teeceirizacao do legislativo, judiciário e executivo