quarta-feira, abril 26, 2017

Vice-diretora diz que não barrou alunas por uso de saia

A vice-diretora do Colégio Estadual Gastão Vidigal, em Maringá, Valdeci Nunes de Lima, enviou nota à imprensa esclarecendo que não impediu nenhuma aluna de entrar na escola em razão do uso de saia. O caso acabou indo parar na delegacia, quando no dia 12 deste mês duas estudantes, de 16 e 17 anos, alegaram que perderam provas, porque teriam sido proibidas por ela de frequentar o local com a vestimenta. Em nota, Valdeci afirma que apenas chamou uma das estudantes para conversar, em virtude de ter recebido denúncias, reclamações e questionamentos por parte de pais e alunos ao tratamento diferenciado dado para algumas alunas que vestiam saia, estando, assim, fora dos padrões estabelecidos pelo regimento interno aprovado em assembleia geral do Conselho Escolar. As mães das estudantes evangélicas, Mônica Cristina de Luma, 44 anos, e Maria Helena Nascimento de Jesus, 42, declararam que conversaram com a diretora auxiliar, mas que ela teria sido arrogante, não atendendo ao apelo de permitir o uso da vestimenta. Em nota, Valdeci disse que "em nenhum momento fez uso de opinião pessoal para aplicar o regimento, nem tampouco durante a comunicação com os pais e alunos envolvidos." O diretor do Gastão Vidigal, Sérgio Martinhago, disse que faltou diálogo entre as famílias e o colégio, mas que o caso já foi solucionado e as alunas estão frequentando as aulas regularmente. Segundo ele, em uma próxima assembleia será discutida com a comunidade escolar a inserção da saia no regimento interno. O Diário

Nenhum comentário: