COMO OUVIR A RADIOWEB CARLÃO MARINGÁ

PARA OUVIR A RADIO CARLÃO MARINGÁ, BASTA CLICAR NO PLAY ABAIXO DA FOTO DO CARLÃO.

terça-feira, agosto 22, 2017

Petição pede que atirador indenize família de homem morto em açougue

Uma petição na internet foi publicada ontem (21) pedindo para que o responsável pela morte de Adelso Donizete Ferraz em um açougue de Maringá arque com as despesas da família da vítima, até que todos os filhos atinjam a maioridade e concluam a formação acadêmica. A petição, direcionada ao Congresso Nacional, também pede a criação de uma lei que "obrigue criminosos a amparar com recurso próprio suas vítimas e respectivas famílias", diz o texto publicado na plataforma Avaaz. A meta da petição, criada por Mateus Antonio Z, é levantar 100 mil assinaturas e, até as 9h10 a petição já contava com 649. O caso de Adelso, morto na manhã de domingo (20), enquanto esperava para comprar carnes em um açougue de Maringá, chocou a cidade, principalmente pela forma como o homicídio aconteceu. De acordo com testemunhas e com a polícia, Edinaldo Ferreira da Silva, de 48 anos, discutiu com funcionários e dono de uma casa de carnes na Avenida Brasil por causa da demora no atendimento e, logo após sair, entrou em uma caminhonete e disparou várias vezes contra o estabelecimento. Dois dos tiros atingiram Ferraz, que morreu na hora, deixando mulher e sete filhos – dos quais apenas dois são adultos. Silva foi preso na manhã de segunda-feira, após a Justiça expedir um mandado de prisão preventiva contra ele, mas se recusou a prestar interrogatório. Ele estava na casa de um amigo, no Jardim Império do Sol, e levou a polícia até um prédio no centro da cidade, onde a caminhonete, a arma e vários estojos deflagrados estavam escondidos. Segundo o suspeito, que assumiu informalmente a autoria do crime, o objetivo era atingir a assadeira de frangos, mas as balas atravessaram o vidro e atingiram os clientes. Luiz Massaroto, de 61 anos, também foi ferido no braço, mas passa bem. O advogado de defesa, Israel Batista de Moura, alegou que o cliente faz tratamento psiquiátrico e toma medicamentos controlados.

Nenhum comentário: