COMO OUVIR A RADIOWEB CARLÃO MARINGÁ

PARA OUVIR A RADIO CARLÃO MARINGÁ, BASTA CLICAR NO PLAY ABAIXO DA FOTO DO CARLÃO.

terça-feira, outubro 31, 2017

Clima tenso na região rural de Faxinal e Ortigueira

A ocupação Fazenda Nossa Senhora do Carmo, também conhecida por "Fazenda Brasileira", que fica na área rural de dois municípios, Ortigueira e Faxinal, é uma novela que já dura 14 anos. Segundo dados apurados pelo Blog do Berimbau e Rádio Nova Era, De um lado estão os trabalhadores que ocuparam a propriedade (Acampamento Maila Sabrina), coordenado pelo MST- Movimento Sem Terra; e do outro, a Família Petrilli, proprietária da área rural que foi ocupada por 400 famílias, que vivem nas terras que estão localizadas no município de Ortigueira, e mais 30 famílias, na conhecida "Brasileirinha", que pertence a mesma propriedade, mas do lado Faxinal. No dia 26 de outubro, alguns acampados fizeram contato com o repórter Ronaldo Senes, o "Berimbau", indagado se era real a notícia de um reintegração de posse, inclusive, um cidadão disse que os agricultores estavam preparados para resistir. Nossa reportagem falou com as Policiais Civil e Militar, de Faxinal, e segundo estas forças de segurança, não havia nada de oficial que tivesse chegado do comando. Já o prefeito de Faxinal, Ylson Cantagallo, o "Gallo", afirmou que foi procurado pelo Major Sagatti, que comanda a 6ª Companhia Independente de Ivaiporã, ao qual, o Pelotão de Faxinal é subordinado, para tratar sobre a logística da reintegração. O prefeito acredita ser difícil a desocupação, pelo tamanho da logística necessária, pois no local estavam mais de mil pessoas. "Eu quero dizer ao Blog do Berimbau e a Rádio Nova Era, que na Brasileira, temos escola e uma estrutura para as pessoas que vivem lá. Digo ainda que os acampados, dos dois lados, geram renda para Faxinal, porque utilizam o nosso comércio para vender seus produtos e comprar o que é necessário.
Por isso, decidir ir a Curitiba falar com o Governador e com o Tribuna de Justiça, pedindo que essa ação não ocorra", disse o prefeito ao Repórter Ronaldo Senes, o "Berimbau". Enquanto isso, na fazenda, o clima é de tensão e há relatos que já foram percebidos helicópteros sobrevoando a área, que os produtos acreditam ser um mapeamento do local. FAMÍLIA PETRILLI - No início de fevereiro, de 2017, havia informações de que o INCRA estaria finalizando a compra da área, informação que foi desmentida pelos próprios, que chegaram a encaminhar uma nota ao Blog do Berimbau, com a seguinte informação: "Prezado senhor Ronaldo A. Senes, "Berimbau", somos os proprietários da Fazenda Nossa Senhora do Carmo, também conhecida por Fazenda Brasileira. Parcialmente invadida pelo MST em janeiro de 2003, logo após a posse do Sr. Lula, e totalmente invadida em julho de 2005. Perdemos a posse da propriedade e tudo dentro dela. Estamos batalhando juridicamente desde então, há 14 anos, pela execução da reintegração de posse concedida judicialmente, bem como pelo ressarcimento, pelo estado, de tudo que nos foi roubado. A fazenda, nossa propriedade desde 1964, fruto do trabalho duro de três gerações da família, imigrantes que chegaram ao Brasil e pegaram na enxada, foi vistoriada várias vezes neste período e classificada pelo próprio INCRA como altamente produtiva, temos toda a documentação. A fazenda que os sem terra alegaram ser improdutiva, tinha 7500 cabeças de gado, e toda a estrutura necessária para mantê-las. Pastagens, açudes, plantações, serraria própria, balanças de pesagem, mangueirões, gerador próprio, instalações telefônicas, casas para empregados com luz elétrica e água encanada, sedes, tratores, inclusive de esteira, cavalos, carros para locomoção de empregados, etc. Fazíamos a nossa parte, dando empregos, pagando impostos, colocando comida na mesa dos brasileiros Em um governo que não cumpre a lei, chegamos até o STF, conseguindo ordem de intervenção federal no estado do paraná. Aguardamos agora finalmente o cumprimento das ordens judiciais. Nestes 14 anos, chegamos a negociar a propriedade com o INCRA, mas as propostas do órgão sempre foram preço vil. Para que o senhor tenha uma ideia, um terço do valor à vista de mercado, em TDA a vencer em anos. Critérios "técnicos". Infelizmente, o anúncio atual de que os proprietários chegaram a um acordo com o governo é falso. Nenhuma autoridade nos contatou recentemente. Não fomos informados desta reunião em Curitiba. Nossa posição é a mesma de quando estávamos negociando com o INCRA.... Venderemos, ao INCRA ou a quem pagar o que vale a propriedade", assinado Família Petrilli. Berimbau

Nenhum comentário: