COMO OUVIR A RADIOWEB CARLÃO MARINGÁ

PARA OUVIR A RADIO CARLÃO MARINGÁ, BASTA CLICAR NO PLAY ABAIXO DA FOTO DO CARLÃO.

sexta-feira, novembro 03, 2017

Homem confessa ter matado e estuprado dona de casa; suspeito que estava preso deve ser liberado

Francisco Wellington Pereira da Silva, de 28 anos, preso em Ponta Grossa, confessou nessa terça-feira (31) que matou e estuprou a dona de casa Isabel dos Santos, de 51 anos, em 9 de setembro, em Sarandi. Desde o dia 15 do mesmo mês, Luiz da Silva Lemos, 41, estava preso suspeito de ser o autor do crime. Agora, ele deve ser colocado em liberdade. Segundo a Polícia Civil, Francisco vem sendo investigado há um tempo. Ele estava preso em Ponta Grossa e, durante depoimento, contou que teve um relacionamento amoroso com Isabel por cerca de dois anos. Ele relata que, no dia do crime, tomou banho na casa dela, no Jardim Ouro Verde, e deu uma "gravata" nela, a matando e, em seguida, a estuprou por cinco minutos. Logo após, ele contou que tomou outro banho na residência e foi embora. Ainda no depoimento, ele confirmou que o filho adotivo da vítima estava dormindo enquanto tudo aconteceu. Francisco disse que amava Isabel e que ela falava constantemente em casar-se com ele. "Após matar Isabel, roubei dois celulares que estavam na casa e uma bicicleta, que depois vendi em Marialva para comprar álcool e drogas", disse Francisco. Ao ser questionado sobre o uso de entorpecente ou álcool antes do crime, ele afirmou ter tomado cachaça e feito uso de droga. 48 dias preso Quatro dias após o crime, a Polícia Civil (PC) prendeu Luiz da Silva Lemos como suspeito de ter estuprado e matado Isabel. Ele foi encontrado em Osasco (SP) e encaminhado para a delegacia de Sarandi. Segundo as investigações da PC, Luiz teria tentando forçar um relacionamento com Isabel e teria se mudado para Osasco no dia em que ela foi encontrada morta em sua casa. Durante depoimentos, o suspeito negava a autoria do crime. Agora, com a confissão do crime por parte de Francisco, Luiz deve ser liberado da cadeia. O advogado dele, Emerson Farias, disse que já pediu a revogação da prisão e que aguarda decisão da Justiça. Na época da prisão, foi coletado sangue de Luiz para exame de confrontação genética com material (sêmem) colhido da vítima, mas o resultado ainda não ficou pronto. O Diário

Nenhum comentário: