COMO OUVIR A RADIOWEB CARLÃO MARINGÁ

PARA OUVIR A RADIO CARLÃO MARINGÁ, BASTA CLICAR NO PLAY ABAIXO DA FOTO DO CARLÃO.

terça-feira, novembro 21, 2017

Polícia Civil prende sete por dívidas de pensão alimentícia

O Grupo de Diligências Especiais (GDE) da Polícia Civil de Umuarama realizou na manhã desta terça-feira (21) a Operação Abbá IV. O objetivo era dar cumprimento a oito mandados de prisão relacionados com a inadimplência no pagamento de pensões alimentícias. A pedido da Vara da Família e sob supervisão do superintendente do GDE, Milton Cinque, foram cumpridos sete dos oito mandados expedidos – apenas um dos inadimplentes não foi encontrado em sua residência. Todos os detidos foram encaminhados à Delegacia e se encontram à disposição a Vara da Família. De acordo com o Delegado Chefe da 7ª SDP, Osnildo Carneiro Lemes, todos os presos têm a possibilidade de saldar suas dívidas junto ao Fórum e receber a liberdade. “Eles poderão acionar seus advogados ou familiares para fazer pagamento e ser liberados. Caso contrário, cumprem pena de 60 dias e, mesmo que cumpram a pena, continuam devedores. Cabe lembrar que se ficarem os 60 dias detidos, vão passar Natal e Ano Novo na cadeia”, explica. Seis policiais foram empregados na operação. Todos os cumprimentos aconteceram de forma tranquila. “Normalmente nesses casos não há qualquer turbulência na ação. Os detidos são pessoas que trabalham e muitas vezes têm condições de pagar a pensão. Entre os detidos hoje temos comerciante e um servidor público, por exemplo”, informa o Delegado Chefe. No período da tarde serão cumpridos mais 5 ou 6 mandados. “Quem está devendo ainda tem tempo de saldar a dívida antes de receber a visita do GDE”, alerta Lemes. O nome da operação, Abbá, significa ‘pai’ em hebraico. O delegado lembra que quando existe alguma dificuldade no pagamento da pensão alimentícia, como o fato da pessoa ficar desempregada, é necessário entrar em contato com a Vara da Família para solicitar a redução temporária do valor. “É preciso justificar caso não consiga pagar, porque depois de preso fica mais complicado”, orienta. Com informações do OBemdito

Nenhum comentário: