sexta-feira, dezembro 22, 2017

Educadoras acusadas de agredir crianças em creche de Rondon colocam tornozeleira eletrônica

As duas educadoras acusadas de agredir crianças em uma creche de Rondon, colocaram as tornozeleiras eletrônicas na manhã desta quarta-feira (20), na Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste (Peco). Conforme o Ministério Público do Paraná (MP-PR), o benefício de responder em liberdade foi conhecido pela Justiça porque elas têm curso superior. Outra opção, segundo a promotoria, seria deixá-las em cela especial, o que não há nas cadeias da região. As educadores deverão permanecer em casa. Saídas e mudanças de endereço devem ser comunicadas à Justiça. Em caso de desrespeito às regras, elas perderão o benefício e irão para a cadeia, de acordo com o MP-PR. As mulheres se entregaram à polícia no dia 14 de dezembro, em Cidade Gaúcha, no noroeste do Paraná. Elas eram consideradas foragidas desde 30 de novembro. As duas são acusadas de torturar crianças de dois e três anos de idade. Elas eram alvo de mandados de prisão preventiva, que é por tempo indeterminado. Câmeras de segurança foram instaladas na creche onde as duas trabalhavam depois que a Secretaria de Educação do município recebeu denúncia de maus-tratos, no fim de outubro. Os equipamentos registraram as agressões, mas as imagens não foram divulgadas. Segundo a denúncia do MP-PR, pelo menos 20 crianças foram submetidas a intenso sofrimento físico e psicológico por meio da aplicação de castigos, como empurrões, puxões de cabelo e de orelha, apertões e outras condutas. Fonte: RPC

Nenhum comentário: