quarta-feira, janeiro 17, 2018

Polícia Civil prende comparsa de assaltante que morreu durante roubo

A Polícia Civil de Mandaguaçu - 22,5 km de Maringá - prendeu na tarde desta terça-feira (16) um dos envolvidos em um roubo ocorrido na noite de segunda (15), na zona rural da cidade, e que terminou com um adolescente de 17 anos ferido com um tiro no braço e um assaltante morto. O suspeito foi preso na Vila Guadiana, zona oeste da cidade, e confessou envolvimento no crime. Ele confirmou que fugiu do local ao escutar os primeiros tiros disparados pelo comparsa, um deles contra a própria barriga. De acordo com o delegado Waldir Adão Samparo, o roubo ocorreu por volta das 22h em uma chácara situada na zona rural, a três km do centro da cidade. Armados de faca e revólver, André Welington de Brito, 18 anos, e Fernando Cavalcante Martins, 20 anos, invadiram o imóvel e renderam 11 pessoas, incluindo um casal de idosos de 79 e 65 anos, filhos, genros, noras e netos com idades entre 9 e 43 anos. As vítimas foram agrupadas na sala e mantidas sob mira do revólver. Os ladrões permaneceram no imóvel por cerca de duas horas e após arrecadar joias, dinheiro, objetos de valor e as chaves de dois veículos, que estavam na garagem, decidiram trancar as vítimas em um dos cômodos. Neste momento, o assaltante que empunhava o revólver irritou-se com os latidos de um cão yorkshire e acabou agredindo o dono do animal com um soco no rosto. Indignado com o ataque, o filho da vítima, de 17 anos, atracou-se com o ladrão e acabou sendo baleado no braço esquerdo, altura do ombro. Mesmo ferido, o garoto conseguiu imobilizar o assaltante, que efetuou outros dois disparos antes de deixar a arma cair no chão. Em meio a confusão, o outro ladrão fugiu do local, levando um celular e cerca de R$ 3,8 mil. Informada do ocorrido, a Polícia Militar (PM) chegou na chácara minutos depois e, só então, notou que o assaltante, Fernando Martins, que ainda era mantido dominado pelas vítimas, já estava morto. O comparsa, André de Brito, foi preso nesta tarde, dormindo na casa de sua mãe, na Vila Guadiana. Ele estava com uma tornozeleira eletrônica, medida concedida há dois meses pela Justiça de Maringá em razão de uma prisão em flagrante por porte ilegal de arma. Brito confessou ter sido o mentor do roubo e revelou que na adolescência ajudou a matar um homem que havia baleado o seu irmão. A PC confirmou que o assaltante morto, que residia em São Jorge do Ivaí – 43 km de Mandaguaçu - tinha antecedente por homicídio, em Cianorte, e respondia oito processos por roubo, todos contra chácaras na região de Mandaguaçu. O garoto baleado passa bem. Seu pai contou que ele foi encaminhado ao Hospital Universitário (HU), em Maringá, que verificou que o projétil havia transfixado o braço. Este foi o segundo assalto sofrido pela família num intervalo de dois anos. Na primeira situação, ainda não esclarecida, os assaltantes roubaram dinheiro e joias. O Diário

Nenhum comentário: