sexta-feira, fevereiro 16, 2018

Acusadas de torturar crianças em creche começam a ser ouvidas

O julgamento de duas mulheres acusadas de torturar crianças em um Centro de Educação Infantil em Rondon, no ano passado, começou na quarta-feira (14). Quatro testemunhas de acusação e duas de defesa foram ouvidas durante a audiência, que durou três horas e meia. As acusadas continuam em prisão domiciliar monitoradas por tornozeleiras eletrônicas. O advogado de uma delas afirmou que não há provas e que as educadoras serão absolvidas pela Justiça. Os depoimentos de outras testemunhas e o interrogatório de uma das acusadas estão previstos para o próximo dia 26. Todos serão ouvidos na cidade onde residem. No caso, uma das educadoras acusada vai depor no Fórum de Paraíso do Norte. No dia 27, a outra ré deve ser interrogada no Fórum de Cidade Gaúcha, onde reside. Depois, o Ministério Público e a defesa terão um prazo para apresentar as alegações finais. E, por fim, a juíza determinará a sentença. As duas devem permanecer em prisão domiciliar com monitoramento eletrônico até o final do processo. Entenda o caso Em outubro de 2017, a Secretaria de Educação de Rondon recebeu algumas denúncias de maus-tratos e instalou câmeras no Centro de Educação Menino Deus. Segundo a pasta, as filmagens confirmaram as agressões e o caso foi registrado na polícia. Na época, as duas educadoras estavam em estágio probatório e foram afastadas de suas funções. De acordo com a polícia, pelo menos 20 crianças com idade entre dois e três anos foram agredidas pelas professoras. Após a conclusão do inquérito, o Ministério Público do Paraná apresentou a denúncia à Justiça, acusando as educadoras do crime de tortura. A pena prevista é de dois a oito anos de prisão, mas as acusadas podem receber penas maiores, já que os crimes foram praticados em três dias diferentes, segundo o MPPR. Colaboração O Bemdito/Tribuna de Cianorte

Nenhum comentário: