quinta-feira, março 22, 2018

Professora registra denúncia após ter imagem atribuída a vídeo pornô

Uma professora de 38 anos registrou uma denúncia na Polícia Civil de São José dos Pinhais, no Paraná, após ter seu nome envolvido em uma fraude. Ela afirma que um vídeo pornô atribuído a ela está circulando nas redes sociais. A docente garante que a mulher que aparece nas imagens não é ela e que estão tentando denegrir sua imagem. Conforme a polícia, o vídeo com cenas de sexo explícito de um casal se espalhou nas redes como se fosse a professora na cama com um ex-aluno. As imagens viralizaram junto com uma mensagem mostrando uma suposta conversa entre ela e o adolescente. A professora alega que o print nada mais é do que uma montagem grosseira. “Alguém foi até um site com vídeos pornográficos, que até já identifiquei qual é, achou uma mulher parecida comigo em cenas de sexo, e postou no Whatsapp como se fosse eu. Essa pessoa ainda foi até o meu Facebook, pegou uma foto minha e fez uma montagem como se eu estivesse mandando uma mensagem para um ex-aluno cobrando por que ele divulgou o vídeo. Colocaram até a foto dele ao fundo. Tudo um absurdo. Não sou eu no vídeo, o corpo não é meu e nem escrevo daquele jeito”, contou. A professora de português e diz que jamais escreveria uma frase como a que está sendo divulgada junto com o vídeo. Além dela, o ex-aluno que aparece nas montagens e o marido também estão sofrendo com a situação. “Ele foi meu aluno, é meu vizinho, mas não temos nenhum vínculo. Estão fazendo isso pra me prejudicar e ele também está sendo vítima. Foi muito difícil mostrar isso tudo para o meu marido. Mas foi só ele ver o vídeo pra concluir que não sou eu. A atriz pornô tem silicone, eu não tenho, sem falar que tenho cicatriz na perna e ela não. Mas toda minha família está me apoiando. Vou até o fim para descobrir quem fez isso. Não vou aceitar mentiras sobre mim”, afirma. O caso está sendo investigado pela Delegacia de São José dos Pinhais em parceria com o Núcleo de Combate aos Cibercrimes da Polícia Civil do Paraná. De acordo com o delegado-chefe de SJP, Amadeu Trevisan, já há um suspeito de ter espalhado as mensagens. Segundo o delegado, não há dúvidas de que não é a professora no vídeo postado e a mensagem atribuída à ela também é falsa. Fonte: Banda B

Nenhum comentário: