sexta-feira, abril 20, 2018

Contrabandistas têm usado veículos de luxo para driblar fiscalização na fronteira

Contrabandistas usam dos mais variados artifícios para fazer o transporte de mercadorias do Paraguai para o Brasil. Além dos carros velozes, para conseguir escapar mais facilmente em uma fuga, eles têm optado por utilizar veículos de luxo, como caminhonetes e SUVs, conforme a Receita Federal. No último fim de semana, por exemplo, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) suspeitou de um carro de luxo ocupado por um casal, na região oeste do Paraná. Dentro do carro, no qual os ocupantes se passavam por turistas, estavam 65 smartphones. A ideia é que os carros mais valiosos, alguns de mais de R$ 200 mil, são uma maneira de desviar a atenção dos fiscais porque, em tese, geram menos desconfiança. Segundo a Receita, neste ano foram dez veículos de luxo apreendidos na região de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. O número não é considerado alto, levando-se em conta o total de 233 carros apreendidos no primeiro trimestre, mas chama a atenção da Receita o investimento de risco feito pelo crime, que nem sempre utiliza veículos roubados para as ações. “Houve um período em que veículos de baixo valor eram muito utilizados, pois caso perdessem o prejuízo não seria tão grande”, explica a auditora fiscal Cristiane de Oliveira. Ela admite que os veículos de luxo, e até bagagens de turistas, dificultam o trabalho de fiscalização. “Mas a gente sempre tem buscado treinar nossos servidores para muní-los de ferramentas para que possam indenticar os veículos que, de fato, estão envolvidos com contrabando”, afirma. Fonte: RPC

Nenhum comentário: