quarta-feira, abril 11, 2018

Suspeito diz que deixou corpo de desaparecido em Cidade Gaúcha

O delegado de Cruzeiro do Oeste, Gabriel Menezes, comanda as investigações sobre o desaparecimento de Tiago de Lima Macedo, de 30 anos. Na manhã de terça-feira (10) um suspeito foi preso e indicou a polícia o local onde o corpo do homem teria sido deixado. Uma equipe da polícia esteve em uma área rural de Cidade Gaúcha, buscas aconteceram, porém, nem o corpo nem a arma que teria sido utilizada no crime foram encontrados. Tiago está desaparecido desde a noite de 17 de fevereiro, um sábado, quando saiu de uma fazenda em Mariluz, onde mora, e não foi mais visto. Ele informou que iria para a cidade e retornaria no mesmo dia. O homem estava com o veículo Gol, de cor prata, que também sumiu. A polícia trata o caso como latrocínio. A investigação levou a prisão de um suspeito no dia 5 de março. Ele tem 23 anos. De acordo com o delegado, o jovem confessou que combinou um encontro íntimo com Tiago. Depois disso a vítima desapareceu. No entanto, o suspeito nega participação no latrocínio. “Ele nega envolvimento no crime, só diz que conhecia a vítima e que eles teriam se encontrado algumas vezes”, explica Gabriel Menezes. O segundo suspeito, de 24 anos, também nega participação no crime e teria informado ao delegado que apenas sabe detalhes a partir da narrativa do primeiro detido. Foi a partir desses detalhes, relatados pelo jovem em interrogatório nesta terça-feira, que a polícia chegou ao possível local onde o corpo teria sido deixado. “Ele negou participação, mas disse que sabia onde estava corpo e a arma do crime. Fomos ao local, mas nada foi encontrado”, disse o delegado. De acordo com o suspeito, o corpo não foi enterrado – apenas deixado à margem de uma estrada vicinal. “Ele não afirma, mas comentou que o corpo pode ter sido retirado por alguém a pedido do primeiro suspeito”, acrescenta Gabriel. Para o delegado, os dois atraíram a vítima, que foi morta e teve seu veículo levado para o Paraguai – há provas de que o carro foi levado para o país vizinho. Os dois suspeitos são moradores em Cidade Gaúcha e seguem presos. O delegado disse que vai pedir o indiciamento da dupla pelo crime de latrocínio, pois há elementos suficientes para isso. Um dos suspeitos conta com passagem por tráfico. “O crime já está elucidado, mas vamos continuar trabalhando até encontrarmos o corpo”, informou. Colaboração O Bemdito

Nenhum comentário: